Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ao cinema

por Saltita, em 30.01.10

Adoro cinema. Desde miúda que tive as minhas primeiras lições de inglês (e que úteis foram) em frente ao ecrã de TV. 

Em criança lembro-me de estar no cinema e de pensar como seria bom saltar da cadeira para cantar  com a Mary Poppins. Afinal quem me iria ver no escuro, mas a companhia do lado era capaz de não me trazer de novo e hoje estaria certamente internada num hospício. Fui algumas vezes ao cinema com o meu pai. A escolha incidiu sobre Rocky IV e Revolta na Bounty e houve alguma dificuldade em controlar a minha energia à vinda para casa. A primeira vez que fui ao cinema sozinha tinha 10 anos e foi uma experiência de quase camarote no velhinho cinema Pax Julia. Pastilhas elásticas, gritinhos abafados e a sensação de estar perante uma nova realidade em que podia entrar e sair a qualquer momento. Depois eram as sessões de Domingo em que quase éramos expulsos do cinema porque tudo nos fazia rir na idade da parvoeira. " Morre estúpido, que eu quero apanhar a camineta!". 

Nos anos da universidade ia ao cinema duas vezes por semana. Viamos tudo o que havia para ver embora o visionamento de alguns filmes tenha ficado ligeiramente "truncado". Mas que valeu o dinheiro do bilhete, valeu...

Depois comecei a trabalhar e as sessões de cinema foram escasseando, mas o bichinho ficou. Casei, tive o J, mas algumas das melhores experiências da minha vida continuam a ser  em frente ao ecrã de cinema, mesmo que ultimamente seja mais em casa.

O cinema faz parte de mim, ainda que nunca tenha o privilégio de pisar aquele tapete vermelho e ver a estrelas de cinema ao vivo, não perco a cerimónia dos Óscares seja a que horas for. Considero-me uma cinéfila. Um destes dias espero ir iniciar um novo ciclo na minha vida quando levar o pequeno J ao cinema. 

Aqui fica uma homenagem aos meus actores, actrizes e filmes preferidos, porque afinal a minha vida dava um filme, criança, menina e mulher...

 

 

 

 

 

publicado às 13:25

Ainda o futebol

por Saltita, em 30.01.10

«O futebol português não é uma máfia porque uma máfia exige organização, poder financeiro, poder político e social e uma superior capacidade intelectual dos seus membros.» Joaquim Meirim

 

 

 

 

 

 

 

publicado às 12:32

Pág. 1/13



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D