Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Saltita

Desde 2008

O Blog da Saltita

Desde 2008

A Sombra

Saltita, 23.02.21

 

 

É preciso olhar a sombra

De frente

A seu tempo

A sombra só existe por causa da luz

Compreender as nossas sombras é entender o caminho para casa

 

Shadow and substance - Sharanagati

Eu agora sou um lugar feliz

Saltita, 21.02.21

 

 

Sentir-me feliz

Uma sensação que percorre o teu corpo, mas vem de um lugar da tua alma que é só luz

Nem sempre estou feliz

Nem sempre fui feliz

Hoje sei que tudo foram consequências das minhas escolhas. As mesmas escolhas que me fizeram errar tinham o propósito de me fazer evoluir.

Não foi magia. Foi alquimia. Não foi um acaso. Foi um sentido. Não foi bonito. 

Para chegar a um lugar de felicidade é preciso limpar a lama e a toxicidade que nos aprisiona. A lama do julgamento, do medo, do ressentimento. É preciso olhar a nudez no espelho e aceitar a imperfeição. É preciso vencer a procastinação. 

Não foi magia. Foi trabalho. Mas agora que sou menos matéria encontro a beleza nas pequenas coisas do caminho. Até o canto de um pássaro que me acompanha ao escrever estas palavras é uma melodia que me devolve a mim mesma. E eu agora sou um lugar feliz. E ao meu lugar regressam pessoas e cirunstâncias de luz. Não estou sozinha na minha evolução. Apenas fiquei sozinha na minha tristeza. A minha alegria é acompanhada. E que bom que é. 

O trabalho nunca está feito, pois é evolução. Continuemos ... 

 

Saltita

Viver o meu propósito

Saltita, 08.02.21

 

 

em tempos só queria ter

em tempos só queria ir

em tempos só me contentava em partir de lugar em lugar

hoje só quero ser

hoje só quero ficar

hoje só quero a partir do meu lugar partilhar tudo com o universo

 

Saltita

universo.jpg

 

It's time

Saltita, 29.01.21

 

Chegou a hora

 Enquanto estavámos distraídos, isto aconteceu. E não se volta atrás!

 

Saltita

Abraço

Saltita, 27.01.21

 

 

Envio-te um abraço

Estejas onde estiveres

Sejas quem fores

Não quero saber da tua nacionalidade, cor política, género e tudo as outras coisas que nos separam

És um ser humano como eu

E os humanos não são humanos sem emoções

O mundo precisa de um abraço

Toma lá o meu! 

Dia Nacional do Abraço 2020 muda a forma de se cumprimentar – Bernadete  Alves

Saltita

Silêncio, que se faz barulho

Saltita, 25.01.21

 

Está tudo aos gritos

 

No meio da confusão, escolho a quietude

No meio das farpas, opto pela não-agressão

Eu calo-me, observo e tiro as minhas conclusões

O barulho diz-nos mais sobre as pessoas quando o escutamos em silêncio. 

beacon.jpg

Saltita

Foto: A peace, de Sofia Orangejam

 

Livro Recomendado : O Sagrado Feminino

Saltita, 24.01.21

 

 

Este livro explora esse lado sensorial da conexão da mulher como elemento cíclico da natureza, como ventre da humanidade. É importante que as mulheres se curem. Elas carregam séculos de culpa, de submissão, de restrição e violência muitas vezes consentida. As memórias genéticas estão marcadas das nossas antepassadas estão marcadas em nós. A elas acrescem as nossas próprias dores, físicas e emocionais. Para curar é preciso lamber as feridas, mas primeiro temos de saber onde elas estão. O nosso corpo fala connosco. É conhecê-lo, aceitá-lo e amá-lo.

ines.jfif

 

Uma útil ferramenta e a sua autora um verdadeiro ser de luz. O mundo precisa tanto de cura e de luz. Para ler com a mente aberta. Só assim se evolui. 

Gratidão, 

Saltita

 

Bom dia com Poesia

Saltita, 23.01.21

Coragem

Saltita, 22.01.21

 

 

Portugal é neste momento o país com maior número de infeções e mortos por milhão de habitantes do mundo. Isso. Do mundo.

As pessoas estão a morrer. Já não só números. Já são os nossos conhecidos. Os familiares dos nossos amigos. Já não só os do costume.  O círculo a apertar.

As imagens que víamos noutros países são agora as nossas. Os heróis são os nossos médicos, enfermeiros, auxiliares e bombeiros. Mas os nossos heróis têm menos meios, menos recursos.

Os nossos heróis são mais heróis.

doctors.jpg

 

Pediram aos portugueses para não abraçar, não celebrar, nem visitar. É o mesmo que pedir aos portugueses para não serem portugueses. Os portugueses não podem ser convidados. Têm de ser convencidos ou então obrigados.

Os negacionistas calaram-se na fila das ambulâncias.

A culpa existe. Mas agora não é momento de apontar os dedos. Agora é momento de ficar quieto, de afastar, de não contactar. É tempo de apoiar, de encorajar. É tempo de honrar distâncias físicas. É tempo de confiar nos cientistas, e que bons que são os nossos cientistas, e esperar que os governantes ajam em conformidade.

Hoje Portugal enfrenta uma tormenta sem precedentes. Mas Portugal é um país de marinheiros. E vamos passar o Cabo das Tormentas, ao qual chamaremos da Esperança. Foi assim que cruzámos mundos e séculos.

Coragem!

Saltita

Mulher Tempestade

Saltita, 21.01.21

 

 

Domino o inverno e surpreendo o verão

Revolvo a terra e despenteio o mar

Só fica o que é imenso ou tem raiz

Quem não aguentar a minha força não espere a sombra das árvores que deixo de pé.

Saltita

Rural Chuva Tempestade - Imagens grátis no Pixabay